Idosos precisam de cuidados redobrados no calor

aguaVivemos num país tropical e o verão é brindado com a estação das férias e do divertimento. No entanto, o calor traz um risco extra para os idosos, cuja composição corporal tem menos água que a dos indivíduos mais jovens. Por isso é preciso redobrar os cuidados com a hidratação, como explica o geriatra Tarso Mosci, presidente Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, seção RJ:

 

     Quais os riscos que as temperaturas elevadas do verão representam para os idosos?

Doutor Tarso Mosci – A pele do idoso, por ser mais ressecada e menos resistente, tende a sofrer mais facilmente queimaduras ou fissuras, facilitando a perda de líquidos e a ocorrência de infecções. Também há o risco aumentado de neoplasias de pele relacionadas à exposição solar. Sob o ponto de vista de saúde global, o calor pode resultar em maior desgaste físico e desidratação, especialmente nos muito idosos e naqueles que possuem múltiplas doenças. Neste cenário, o sistema cardiocirculatório e renal pode entrar em colapso, existe um risco aumentado de quedas e necessidade de hospitalizações com maior frequência. E vale lembrar que muitos medicamentos podem ter seus efeitos potencializados pelo calor e desidratação, como os diuréticos, vasodilatadores e alguns remédios que atuam no sistema nervoso central.

 

Como protegê-los de uma hipertermia se normalmente os mais velhos sentem menos calor e acabam se agasalhando ou ficando em ambientes menos ventilados mesmo durante o verão?

      Doutor Tarso Mosci – A prevenção e a prudência são a chave do sucesso. Evitar a permanência prolongada em ambientes quentes ou pouco ventilados, reservar a prática de atividade física fora dos horários mais quentes e ingerir líquidos com frequência, independentemente da sede. Além disso, o uso de roupas leves, claras e com propriedades transpirantes pode oferecer algum alívio. Em alguns casos, monitorização mais rígida das doenças e seus tratamentos, com ajustes se necessário nas dosagens, pode ser uma estratégia valiosa. Muitos idosos evitam ambientes climatizados por acreditarem que estes provocam infecções respiratórias, fato sem comprovação científica. O uso conjunto de umidificador de ar pode amenizar o ressecamento das vias aéreas e aumentar a tolerância a esses ambientes climatizados.

 

Qual a importância da ingestão de líquidos para garantir o bem-estar e a saúde dos mais velhos? 

Doutor Tarso Mosci – O idoso tem menos água total do que o indivíduo mais jovem e, geralmente, percebe menos as variações na temperatura do ambiente, sente menos sede e tem perdas de água que são mais difíceis de contabilizar (como por exemplo doenças, medicamentos, transpiração e respiração). Manter-se bem hidratado é tarefa fundamental para o bom funcionamento de nosso organismo e é um desafio que exige disciplina. Quando hidratado, o idoso fica mais disposto e ágil, tanto do ponto de vista físico como mental, sua pele tem melhor aparência e resistência, seu intestino funciona com maior regularidade e a pressão arterial é mais estável. Portanto, os idosos devem alimentar-se regularmente, ingerir líquidos com frequência, evitar a permanência prolongada em ambientes quentes e pode ser útil rever a dose de algumas medicações.